Perguntas Frequentes

Qual o impacto do pH das águas minerais na saúde?

Há uma diferença na composição das águas minerais, incluindo o pH, pois depende da fonte de onde foram captadas, que é o que definirá seu conteúdo de sais minerais e oligoelementos, em razão da diversidade de tipos de rochas por onde ela é filtrada naturalmente. Pode-se dizer então, que, cada água mineral tem a sua própria digital.

O pH das águas minerais não é um parâmetro que define a sua potabilidade, uma vez que águas ácidas ou alcalinas não representam risco a saúde humana, motivo pelo qual não consta na legislação de água mineral.

O pH das águas é um fator relevante para a saúde?

O pH da água não é um fator relevante para a prevenção e/ou tratamento de doenças, já que haverá alteração do pH durante o processo de digestão através do suco gástrico, no estômago e, posteriormente, pelo suco pancreático, no intestino.

Já o consumo em quantidades adequadas de água mineral é essencial para a vida, afinal todos os processos metabólicos ocorrem em meio aquoso.

A falha na reposição hídrica pode levar a desidratação, falência cardiovascular, choque térmico e até a óbito.

O que é pH?

O termo pH significa potencial hidrogeniônico, resultante da dissociação da própria molécula de água e acrescida do hidrogênio proveniente de outras fontes. é representado por uma escala que mede o grau de acidez, neutralidade ou alcalinidade. A escala de pH varia de 0 a 14, e indica a concentração de íons de hidrogênio (H+) solubilizado, sendo considerado ácido o mais próximo de 0,0 neutro 7 e mais, alcalino alcalino quanto mais próximo de 14.

Quais os cuidados necessários para evitar o aparecimento de algas nos garrafões?

Não expor o garrafão ao sol ou claridade excessiva; Armazenar os garrafões em locais adequados, não deixando-os diretamente no chão e próximo de produtos que exalem odor, alterando as características da água; Lavar bem as mãos antes de manipular o garrafão; Antes de abri-lo, retirar totalmente o lacre e lavá-lo com detergente neutro, retirando por completo seu resíduo e/ou passar um papel toalha com um pouco de álcool “sem perfume”, deixando-o evaporar completamente; Remover totalmente a tampa antes de virar o garrafão no bebedouro; Higienizar o bebedouro e todos os componentes que entram em contato com a água, como torneiras, mangueiras, conexões e borrachas vedantes a cada troca.

Qual o procedimento para Assepsia de Bebedouros?

Desligue o aparelho da tomada (caso seja elétrico) Retire o garrafão Lave as mãos com sabão neutro A cada litro de água coloque 01 colher de sopa de Bicarbonato de Sódio Com uma esponja sem uso esfregue a cuba Retire 01 copo de água de cada torneira e retornando a cuba Deixe agir o Bicarbonato de Sódio, aproximadamente 20 minutos Caso a cuba seja de inox o Bicarbonato de Sódio poderá ser substituído por cloro. 02 litros de água com 04 gotas de cloro e deixe agir por 10 minutos Retire a água pelas torneiras e enxágue de 2 a 3 vezes, depois seque a cuba com papel toalha Coloque o garrafão Retire 1 copo de água de cada torneira para tirar o ar existente Ligue o bebedouro na tomada (caso seja elétrico).

Quais os fatores mais comum que podem causar alteração de sabor e/ou odor na água?

GOSTO DE COCO

Salientamos que em testes realizados em laboratório, os resultados demonstram que na higienização do garrafão, ao passar álcool na superfície do mesmo e colocá-lo no bebedouro antes da completa secagem do álcool, há formação de um subproduto. O mesmo não é prejudicial à saúde, mas pode ocasionar alteração de gosto e / ou odor na água, levando a mesma a ficar parecida com paladar frutal ou até mesmo parecendo água de coco.

 

GOSTO DE PLÁSTICO

De acordo com a portaria 26/1996, do Ministério da Saúde, é determinado um limite de migração total de 50 ppm entre o material de fabricação do vasilhame e a água envasada. Basicamente existem quatro tipos de resinas plásticas utilizadas para fabricação de embalagens de água mineral no mercado nacional, que são policarbonato (PC), o polipropileno (PP), compostos Vinílicos (V), onde inclui o PVC e o Polietileno e tereftalado (PET).

Como para um mesmo tipo de resina, a composição varia de um fabricante para outro, pode ocorrer a  maior migração dependo da marca e resina, podendo chegar a alterar o gosto da água.

 

DETERGENTES

A disposição de embalagens descartáveis e retornáveis próximas a produtos químicos (incluindo os produtos de limpeza) ou mesmo a higienização do local de armazenagem da água mineral com esses produtos, podem levar a migração de odor e/ou sabor na água. A alteração ocorre através da vaporização de tais substâncias, que ficam dispersas na atmosfera e entram em contato com a superfície externa da embalagem.

É importante notar que as alterações podem ocorrer nos produtos, caso os mesmos fiquem expostos a diversos fatores que possam interferir em sua qualidade final, desde sua saída da fábrica, até chegar às mãos dos consumidores.

Estamos sempre orientando nossos distribuidores para terem cuidado no transporte, armazenagem incorreta no ponto de venda e exposição inadequada do produto são as causas mais frequentes dos problemas em produtos alimentícios, que infelizmente, nem sempre a empresa pode controlar.

Em bebedouros contaminados por algas que podem ser provenientes do próprio ambiente, são inúmeras as substâncias que as algas são capazes de produzir, podendo levar a água a ficar com gosto ou odor de peixe, solvente, combustível e até mesmo medicamento.

 

ORIENTAÇÕES

“As embalagens plásticas de alimentos e bebidas devem estar distantes de produtos que exalam cheiro forte (material de higiene e limpeza, bombas de gasolina, etc.), pois o plástico, material poroso, absorve odores do ambiente que podem con­taminar seu conteúdo.”